Solidão: procura-se

Ok, esse post vai ser confuso porque os móveis estão bem desarrumados na minha cabeça. Me peguei pensando por que o ser humano tem tanto medo da solidão, isso sempre existiu? Ou nós fomos desenvolvendo esse trauma ao longo das gerações?

Ninguém se suporta sozinho, existe uma regra dentro de nós onde é impossível conviver com a ideia de que não há ninguém ali por nós. Isso é sensato? Loucura? Por que não bastamos para nós mesmos?

Muitas pessoas convivem com a solidão, mas não é por escolha própria. Muitos se prendem em relacionamentos vazios por medo de se ver sozinho, afinal, será que seus amigos dão conta de preencher o lugar daquela pessoa que, de certo modo, tomava conta de você? Essa é uma dúvida de muitos.

E como se percebe, estamos sempre tentando preencher o vazio que alguém deixa com a presença de outra pessoa. Vazio nunca foi sinônimo de solidão, quando é que começamos a associar?

Não é de hoje que nos dizem que precisamos aprender a conviver com nós mesmos, sermos autossuficientes e não ter essa mania de precisar de alguém. O ponto que eu quero chegar é que o ser humano não TEM que estar/ter alguém por necessidade, mas sim por se sentir bem ao lado de outros naturalmente. É uma ideia louca de precisar, mas ao mesmo tempo não sentir a obrigação de ter um grupo de pessoas ou até mesmo apenas uma.

2a2d53664c4b361805e7929913734a14

É escolher se conhecer melhor e fazer da sua presença sua melhor companhia antes de procurar o ombro do próximo ou a cama de alguém. Não é questão de viver só, mas de ser alguém completo e lidar com os sentimentos que surgem de uma maneira que a sua carga emocional não dependa de alguém.

You should see my favorite people,
You catch a glimpse of gold through their skins.
I walk on air whenever I’m with them,
They’re where the happiness begins.
And I’m alright on my own, but with them I’m much better
They’re like diamonds and diamonds are forever. 

🙂

Eu sinto que nos dias de hoje nossos sentimentos não correspondem com nossas ações, aparentemente estamos firme e fortes, mas por dentro não vemos a hora de encontrar um outro alguém pra despejar metade da nossa carga. É isso mesmo? Tem que ser assim?

Não é fácil, mas eu tenho aos poucos tentado me acostumar mais com a minha presença, ter meu tempo e fazer da minha linha de pensamentos algo que gire mais ao meu redor e não pelos outros. É aquele exercício diário de perceber que a solidão é algo natural do ser humano e que nunca foi algo ruim, pelo contrário, é a sua oportunidade de passar o tempo que um ser incrível: você mesmo.

Então que nosso eu interior seja cultivado da melhor maneira possível, pra aguentar o tranco que é lidar com o mundo moderno. Com o individualismo. Com os sentimentos contraditórios. Com essa nossa ânsia em ter onde despejar os problemas ou procurar abrigo. Se a gente começar a construir nossa própria cabana agora, acho que daqui a pouco já conseguimos nos proteger da tempestade, não é?

Mas sempre lembrando que um mundo só é um mundo sem graça. Que sejamos donos de si mesmo, mas com boas companhias ao nosso redor pra trazer alegrias e compartilhar de tudo um pouco – só que sem a tal da obrigação – ou pior, do medo da solidão.

b66bafcbf24b36703004c20b8552cb8a

 

Anúncios

2 comentários em “Solidão: procura-se

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s