Sem dia, mês ou ano pra sentir o que é o amor.

Em uma época obscura, o imperador Claudio II proibiu o casamento durantes as guerras, pois achava que homens solteiros seriam melhores guerreiros. Valentim, um bispo corajoso e fascinado pelo amor resolveu continuar celebrando casamentos. O que aconteceu? Foi preso. Milhares de jovens inconformados começaram a lhe mandar mensagens dizendo que ainda acreditavam no amor e que ele não deveria desistir. Ainda em cárcere, Valentim se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e algum tempo depois, milagrosamente, ela voltou a enxergar. Antes de ser morto, o bispo deixou uma pequena mensagem para a donzela, onde estava escrito: “De seu Valentim”, e assim, nasceu o Valentine’s Day, mais conhecido como Dia dos Namorados pelos brasileiros.

Celebrado vivamente desde quando o mundo virou mundo. Não existe hora certa pra amar.

Quero estar dia 14 de Fevereiro nos Estados Unidos, mudar para o Brasil dia 12 de Junho e depois alugar um quartinho qualquer onde houver amor.

Ontem vi pessoas expressando sua paixão calorosamente pelo Facebook, outros reclamando pela data não ser brasileira, e uns pares apenas defendendo a causa: Vamos amar! E porque não ser assim? Sejam os solteiros, casados, divorciados, viúvos, héteros, gays, trans, seja o ser humano que for, qual o problema em experimentar esse sentimento diariamente? Antigamente eu era uma das pessoas que reclamava daqueles que comemoravam fora do dia 12 de Junho, levei um tempo até perceber que dias, meses e países são pequenos e insignificantes demais pra quem só quer saber do sentimento em si. 

Ultimamente eu ando vendo tantos imperadores por aí, contrários ao sentimento mais bonito desse mundo, alguns não acreditam no amor de pessoas do mesmo sexo, outros já acham que amor é coisa boba…viram para o lado e dizem: Não troco dez por um só! E eu entendo, afinal, o cupido ainda não acertou. E tem os que a esperança acabou se escapando pelos dedos, fecharam tanto o coração a procura da perfeição idealizada que a chave se perdeu por aí. Quem sabe quando vão encontrar novamente?

Mas entre esses tantos imperadores, existe uma multidão de Valentins por aí. Que não desistem do amor. Que querem sim entrar em uma guerra, mas ao lado de um companheiro que ao contrário dos Claudio’s por aí, acham que juntos podem derrotar qualquer problema e sim, serem mais fortes do que quando separados. 

Ah, o amor é um campo de batalha. Mas do bem. Dos guerreiros que se juntam pro que der e vier. Amigos e companheiros. E bom, quando o sentimento fala mais alto que as normas da sociedade, todos aprendem que, não importa se for no dia 14 ou no dia 12. O amor é pra ser vivido por quem tem um coração cheio pra compartilhar.

E como dizia o sábio Mario Quintana: Tão bom morrer de amor! E continuar vivendo…

Eu sei que dá medo. Mas não há sentimento nesse mundo que preencha um coração solitário tanto quanto o amor. Quando dois vazios se encontram, o amor transborda. O verdadeiro. Sem julgamentos. Puro como deve ser.

Imagem

Legenda da foto: Eu espero que um dia você encontre alguém que faça nascerem flores em você até nos lugares mais sombrios.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s